Atrair e conquistar clientes: qual a diferença?

Você decidiu começar o próprio negócio: pesquisou entre diversas possibilidades aquela área de atuação que mais lhe interessava. Você procura o melhor espaço, organiza a loja da melhor maneira e depois de muita preparação o seu negócio finalmente está pronto, mas logo surge a dúvida: como conquistar novos clientes?

Ou pior: o seu negócio ia muito bem com muitos clientes, mas surge a concorrência e seus clientes diminuem consideravelmente. O que fazer nestes casos?

A luta das empresas para conquistar e manter seus clientes é diária, mas utilizando as ferramentas que a comunicação e o marketing oferecem este trabalho fica bem mais fácil.

O começo

Para começar, é importante ter claro a diferença entre atrair e conquistar clientes. Para conquistar um cliente, primeiro é preciso atrai-lo.

Quando atraídos, os consumidores compram exclusivamente pelo fato de enxergarem alguma vantagem momentânea, como uma liquidação em uma loja. No ambiente digital, o inbound marketing (ou marketing de atração em português), tem sido utilizado constantemente como forma de atrair consumidores por meio da oferta de conteúdos e promoções.

O problema

Conquistar um cliente, no entanto, diz respeito a fazê-lo gostar da empresa como um todo, por se identificar com seus produtos ou serviços, com o preço praticado e com os valores da empresa.

O problema é que a maioria das empresas dedica-se a primeira etapa de “atrair clientes” e não continuam seus esforços para “conquistar clientes” perdendo chances reais de venda, além do dinheiro – e tempo – investido para sua aquisição.

Mudando o jogo

Para mudar essa realidade é preciso dividir este processo da conquista de clientes em duas etapas e saber o que trabalhar em cada uma delas:

1. Atraindo clientes

Está é a parte mais difícil e cara deste processo, pois você precisa chamar a atenção de um consumidor que muitas vezes nem sabe que sua empresa existe. Aqui as ações de marketing devem ser flexíveis, ou seja, é preciso testar o que vai dar certo com o seu consumidor.

O que pode ser feito:

No ambiente digital: links patrocinados, inbound marketing, divulgação nas redes sociais, anúncios com diferentes formatos (vídeos, gifs, textos e imagens), marketing de conteúdo, entre outros.

Na loja física: inauguração, promoções, degustações, lançamentos de produtos ou coleções, e muita divulgação com anúncios em jornais, revistas, rádio, redes sociais, mobile marketing e muitos outros.

2. Conquistando clientes

Depois que o consumidor é atraído ele deve ser acompanhado desde a primeira compra de modo que o relacionamento cliente-empresa possa acontecer. É preciso identificar hábitos, costumes, preferências, tudo o que permita entender seu cliente como uma pessoa real que tem necessidades reais e não como um número ou mais um contato da empresa.

O que pode ser feito:

A internet e as redes sociais facilitaram bastante a aquisição dessas informações por parte das empresas, existem vários programas e ferramentas no mercado e as próprias redes sociais como Facebook e Twitter oferecem relatórios completos.

O desafio consiste em monitorar e selecionar os dados que são realmente relevantes para sua empresa. Após esta etapa, sua empresa terá condições de se comunicar de forma mais assertiva com seus clientes iniciando um relacionamento verdadeiro.

Mas para que esse relacionamento possa ser duradouro é preciso que a comunicação seja constante e eficiente. Com tantas opções de produtos/serviços no mercado e com tantas mensagens a que as pessoas estão expostas, a fidelização tem sido um desafio para todas as empresas.

Continue acompanhando nossos artigos para aprender como construir uma comunicação eficaz 😉

By | 2017-05-27T12:48:00+00:00 9 de maio de 2017|Marketing|

About the Author:

Atua há oito anos como consultora nas áreas de comunicação, marketing e design. Desenvolveu uma metodologia própria de trabalho baseada no princípio de people first no qual auxilia as empresas a venderem de forma natural e contínua ao colocarem as pessoas em primeiro lugar, em todas as suas ações internas e externas.